CHECK UP FITNESS FLEURY

29 de novembro de 2016   /   byDebs  / Categories :  Sem categoria

Quando o Fábio me disse que ia fazer o Iron de Fortaleza, a primeira condição que impus é que ele fizesse um check up. O Ironman, por si só, já é uma prova extremamente desgastante, imaginem em Fortaleza! Eu disse a ele que se ele passasse com louvor, poderia fazer a prova.

Então, optamos pelo Check up Fitness do Fleury. Engraçado que a maioria dos atletas de performance amadores acha que não precisa de um check up, justamente porque treinam muito. Mas a história é exatamente ao contrário. Considerando que o Fábio tem 46 anos – portanto uma idade de alto risco para problemas cardíacos -, o check up fitness, com todo o seu protocolo, era o mais indicado. Além da questão de “tudo junto no mesmo lugar”, nesse serviço, o paciente precisa de uma manhã na unidade Fleury da Ponte Estaiada e sai com tudo resolvido.

O protocolo é o seguinte:

  • Avaliação clínica com médico do esporte e exercício: a partir da anamnese, exame físico e resultados dos testes realizados, o cliente será auxiliado conforme seus objetivos e receberá orientações quanto ao tipo e intensidade do exercício físico. Ao final do check-up, receberá um relatório integrado com todas as informações e orientações necessárias;​
  • Avaliação com nutricionista: serão dadas orientações sobre a qualidade dos alimentos e a relação da alimentação com a prática de exercícios, permitindo uma adequação dos hábitos alimentares conforme os objetivos desejados;​
  • Teste Cardiopulmonar;
  • Densitometria de corpo total;
  • Exames laboratoriais;
  • Avaliação com Educador Físico: o profissional avaliará a força muscular e flexibilidade e coletará medidas antropométricas, incluindo peso, altura e dados de perimetria (medida das circunferências dos membros, abdômen, cintura, quadril).​

O Fábio chegou na unidade do Fleury às 7 da manhã e foi direto pro exame de sangue, pois estava em jejum desde o dia anterior. Nos exames de sangue eles avaliam hemograma, colesterol, tireoide, enfim, tudo que possa revelar qualquer tipo de problema em conjunto com os outros exames. O objetivo do check up é proporcionar uma prática de atividade física segura e um treinamento individualizado, independentemente dos objetivos do paciente ou do esporte praticado.

Após o exame de sangue, o paciente vai para o desjejum e segue para a avaliação de composição corporal, na máquina de densitometria, que é extremamente precisa, pois avalia a gordura visceral também, que é uma das mais perigosas quando falamos em saúde. Nesse tipo de exame, o resultado traz uma avaliação quantitativa de gordura e massa muscular.

Depois da avaliação corporal, o ecocardiograma é realizado e qualquer alteração já é vista ali na hora.

Depois do eco, o teste cardiopulmonar, que avalia, além de frequência cardíaca, a pressão arterial e a capacidade respiratória. Mas o que todo atleta quer saber mesmo é o VO2, que é super importante para a prescrição do exercício aeróbio individualizado. O do Fabio, como já era de se esperar, deu bem alto, o que, pra ele, que é da endurance, é maravilhoso.

Após todos os exames, ele passou com o Dr. Dimas Democh, médico do esporte da Unidade Fleury Ponte Estaiada. A partir de uma anamnese bem completa, do exame físico e dos testes que ele fez, foi possível desenhar a prova que seria daí duas semanas. Uma coisa interessante: durante o exame físico, ele encontrou um nódulo na tireoide do Fabio, que já foi direto pro ultrassom, para descartar qualquer problema mais sério. Pensem o quanto isso economiza tempo do paciente: ele já estava ali dentro do Fleury, fez o exame e na hora já soube que não era nada mais sério.

A consulta com a nutri, pro Fabio em especial, foi ótima. Como ele estava há duas semanas da prova e ele definitivamente segue uma dieta da cabeça dele, ela deu várias dicas que foram muito valiosas no pré, durante e pós prova. Ela pegou muito no pé dele em relação à hidratação, já que o sol em Fortaleza é forte, porém, “amenizado”, de certa forma pelo vento. Explicou todas as intercorrências que poderiam acontecer em relação a uma possível desidratação, principalmente no pós prova.

E por fim, ele passou com o preparador físico, e ficou encantado! Por meio do ergoespirométrico veio a explicação que praticamente não ouvimos dos treinadores e que é muito preciosa: a distância entre os limiares de esforço e como usar desses limiares para o tipo de esporte que você pretende fazer. No caso do Fabio, que é atleta de endurance, o limiar 1 (que é aquele confortável, e para ele é 11 km/h) está muito distante do limiar 2 (no qual a produção de lactato é intensa e acontece a famosa “quebra” para o Fabio, 15,4km/h).

Ele explicou que para atletas de longas distâncias melhorarem a performance, os limiares têm de ser mais próximos. Mas como fazer isso? Por meio da inclusão de um segundo longo (porque normalmente os atletas fazem um só) com intensidade, por exemplo, um treino de 16km a 12,7km/h. Aí, conseguimos entender, por causa dessa explicação, porque o Fabio chegou zerado após terminar o IM de Floripa: simplesmente porque ele passou a prova toda um pouco abaixo do limiar 1.

Enfim, Aquino passou com louvor no check up, segundo Dr. Dimas, 46 com saúde de 25 e chegou inteiro em Fortaleza, apesar do calor!

Esse é o tipo de exame que todo atleta deveria fazer, porque cuidar da saúde não é apenas praticar a atividade física, mas sim, praticar com segurança!

 

 

0 comments

Leave a reply

Blog antigo