DICAS DA NORUEGA PARTE I

11 de julho de 2016   /   byDebs  / Categories :  Viagens

Como comentei no post sobre a prova, a Noruega não é um destino tão visado pelos brasileiros, então, pra fazer o roteiro penamos um pouco pra decidir para onde ir, como ir e ainda assim, quando chegamos lá, mudamos a ordem de tudo rs.

Para não perder tempo falando de passagens, a Anita fez um post super explicado sobre elas, que vocês podem ler aqui. Uma coisa bem importante e que até falamos no snap quando estávamos lá: viagem quando planejada com antecedência, sai, pelo menos, 3 vezes mais barata. Então, se você já decidiu que o destino é a Midnight Sun Marathon, já comece a pesquisar, reservar hotéis, olhar passagens. Sempre aparecem umas promoções bacanas, sejam pra compra em dinheiro ou milhas.

Como não há vôo direto pra Oslo, fomos de KLM, fizemos uma conexão de duas horas em Amsterdam e aí sim, fomos para Oslo. Tínhamos a opção de pegar um vôo interno pela Norwegian e ir para Tromso no mesmo dia, mas preferimos dormir em Oslo para descansar e pegar o vôo no dia seguinte. Já em Oslo trocamos euros por coroas, que é a moeda local. Não se assustem com a quantidade de zeros da coroa, a sensação quando você troca 1000 euros é que você está milionário kkkkk. O negócio é que tudo lá custa 345, 678,quase sempre na casa dos 3 dígitos, então isso assusta um pouco. Em viagens, não costumo converter, sempre respeitando a máxima do “quem converte não se diverte”, mas a Noruega é um país caro no que se refere a comida e bebida, então vá com um budget separado pra isso.

Ficamos em um hotel perto do aeroporto, que oferecia café-da-manhã e tinha shuttle a cada 20 minutos. Como o fuso já estava todo desregulado, estávamos já com 5 horas a mais, resolvemos tomar um banho rápido e sair para jantar. Fomos de trem até a Central Station de Oslo e procuramos um restaurante que tínhamos visto no Trip Advisor, super bem indicado, chamado Brazzeria. Ele fica numa galeria, junto à Estação de trem, chamada Østbanehallen. A comida é realmente muito gostosa, o ambiente super agradável, realmente vale a pena.

E aí, o meu problema já começou nesse vôo para Tromso. Quando compramos o vôo interno, pagamos uma taxa a mais, que entendemos ser por mais uma mala de 23kg. Então aloka aqui que vos escreve, saiu do Brasil com duas malas de 23kg, porque teoricamente eu teria direito pelo bilhete que comprei. O que acontece é: quando você paga essa taxa, ela te dá direito a uma mala. Não uma mais outra. Então, já previ gastos que achei que não ia ter, por conta da segunda mala. Agora, apenas uma observação: de tudo que levei, não usei metade! Sempre faço isso, sempre me arrependo, na próxima vou pedir ajudar pra fazer uma mala menor. kkkk

Duas horinhas de vôo mais ou menos e chegamos em Tromso. O aeroporto é bem pequeno, organizado e você pode ir para o centro de duas formas: ou taxi ou um shuttle que vai parando em vários lugares. O taxi é impraticável, preço super alto, o ônibus super atende, mesmo pra quem está lotada de malas como nós estávamos.

O Hotel que ficamos é bem no centro de Tromso, a menos de cinco minutos da largada da prova. O hotel é bem próximo às lojas, ao Turist Information e aos principais restaurantes e café. Na região onde fica o Clarion Aurora, que é perto do cais do porto, ficam mais alguns outros hotéis, inclusive o que tem o jantar de massas oferecido pela prova, o Scandic. Uma super vantagem do Clarion: além de oferecer café-da-manhã ( que diga-se de passagem é muito diferente dos que eu já vi na Europa, porque tem de tudo!), oferece no meio da tarde, panquecas ( que o próprio hóspede faz na “chapa quente”) com geleis ou cream cheese. E a partir das 18 até às 21, oferece uma espécie de ceia, que se substitui perfeitamente um jantar. A máquina de café e água quente fica disponível o tempo todo, a qualquer hora que você queira utilizar. Fora a vista do restaurante para a ponte e a Arctic Cathedral, que é um espetáculo!

Uma outra dica beem importante: nos primeiros dias na Noruega gastamos uma grana em água. Até que um dia resolvemos pesquisar e perguntar se a água da torneira era “bebível”. Qual não foi a nossa surpresa ao saber que a Noruega tem a segunda água mais pura do planeta! Então nada de pagar 40 coroas numa água de 350ml!

Uma outra coisa: não há a menor necessidade de habilitar o seu celular na Noruega, nem de comprar um chip para usar lá. Uma seguidora minha deu a dica e ela estava certíssima! Até no ônibus tem wifi! A maioria dos lugares tem wifi gratuito, então é um gasto que não precisa ter!

No Turist Information encontramos tudo o que precisávamos para conhecer Tromso. Além disso, as senhorinhas que trabalham lá são super atenciosas e nos indicaram até o melhor dia e horário pra subir no teleférico ( que é imperdível, porque a vista de lá é linda!).

Como já contei pra vocês, a minha loucura pra ver a Aurora Boreal é enorme! E troços, é o MELHOR lugar da Noruega para vê-la. E adivinhem o que encontrei no Tourist Information? Um guia completo para todos os bolsos de “caças” às Auroras Boreais. A duração dos passeios que você compra ali mesmo varia de 5 a 9 horas e todos eles incluem fotógrafo, comida e bebidas quentes. E por que estou contando isso? Porque já tinha visto um grupo aqui no Brasil que caça auroras pelo mundo e o pacote é impraticável de caro. Portanto, pra quem quer ainda ver esse espetáculo da natureza, a dica é ir pra Tromso e pegar os caçadores de lá, que estão super acostumados com o job. Segundo os moradores locais, a melhor época para vê-las é fevereiro, mês inclusive que tem o Festival das Auroras Boreais.

O QUE É IMPERDÍVEL EM TROMSO

– Arctic Cathedral – A Catedral é maravilhosa e no verão tem um concerto que começa um pouco antes da meia-noite. É pago, mas vale muito a pena! É lindíssimo!!!

– Se você corre, vale fazer um run tour, subindo a ponte e atravessando para o lado da cidade velha.

– Teleférico – Antes de subir é bom olhar a previsão do tempo. Nessa época que fomos, apesar de ser verão, choveu quase todos os dias, então pegamos uma janela de solzinho e subimos. A vista lá de cima é espetacular! Além de ver a cidade, você consegue passear pelas montanhas que ainda t6em neve no pico. Lá em cima também, há um restaurante muito gostoso, com uma vista lindíssima, que dá pra ficar papeando e tomando um chocolate quente por horas ( e foi o que fizemos!)

– Emma’s Drommekjokken – O famoso restaurante da Emma, que depois descobrimos não ser este o nome da dona, apesar de caro, é imperdível. Todas as receitas são da família da dona, que atende pessoalmente todos os clientes, sugerindo pratos e os vinhos para harmonizar. Fomos lá duas vezes: uma antes da prova, quando comemos o Emma’s Fish: uma combinação de massa, peixe, molho branco e bacon acompanhada por batatas e cenoura, e outra depois, porque queríamos experimentar a carne de baleia ( que é sensacional e os acompanhamentos são deliciosos!). O lugar é pequeno, como um bistrô, então o ideal é fazer uma reserva, porque pelo que ela nos contou, tanto em fevereiro quanto na época da Midnight Sun, o movimento é bem grande. O menu de sobremesas é pequeno, mas experimentamos as duas sobremesas que estavam disponíveis e realmente são maravilhosas!

– Os cafés – Só quando cheguei na Noruega é que fiquei sabendo que lá é a terra do café. Então, vale entrar em cada cafeteria e tomar um cafezinho e papear. O melhor que fomos: na esquina da praça principal. Atendimento ótimo e ambiente super aconchegante.

– Se você vai pra fazer a prova, não dá pra perder a corrida das crianças! A cidade para pra ver, é uma graça!

– Alguns passeios que nos indicaram mas não fomos por falta de tempo: Botanic Garden, Polar Museum e o Midnight Sun Fjord Cruise. E aqui vale uma ressalva que já falei no outro post: o sol da meia-noite, só vimos mesmo em Trondheim. Mas, em Tromso, tem esse Cruise, que vai até um ponto onde é possível ver o sol da meia-noite. Conhecemos um médico lá também, que contratou um taxi para leva-lo até um ponto onde fosse possível ver o famoso sol. Segundo ele, em todos os hotéis eles indicam pessoa que fazem isso. Em Tromso, o tempo fica nublado a maior parte do tempo, então o máximo que pegamos foram uns raios querendo sair das nuvens.

Enfim, Tromso é uma delícia de cidade e que ainda quero voltar para ver a Aurora Boreal!Se for para a Midnight Marathon, 4 a 5 dias são mais que suficientes para ficar na cidade e daí então partir para outro destino!

 

 

 

0 comments

Leave a reply

Blog antigo