A terceira edição do Corra pela Vida foi um sucesso. Apesar de todo o ocorrido na USP no mesmo dia, o clima foi de muita descontração e animação. Quando eu ,a Gabi e Paula resolvemos fazer o Corra juntas ( a Gabi já tinha feito uma edição sozinha), em 15 dias organizamos tudo e colocamos quase 900 pessoas na USP. Eu confesso que fiquei até assustada, porque não esperava aquela quantidade de pessoas num sábado para correr por uma causa. Nessa edição da USP, faltou muita coisa, justamente porque tínhamos nos preparado pra receber no máximo 350 pessoas.

Por isso, dessa vez, contamos com o apoio da Nike e da Agência Milk pra realizar o treino. Não podíamos fazer na USP porque fomos banidas de lá por causa do último treino rs – e olha que não teve arruaça, mas a Milk conseguiu que fizéssemos no Parque da Água Branca. Para isso, a Nike alugou o estacionamento em frente, pra que pudéssemos ter um espaço pra “paquitagem”, como diz a Paula. Além disso, pensamos muito na segurança. O treino teria que ser pra poucas pessoas, já que teríamos que atravessar a rua com aquele monte de gente e a responsabilidade era nossa. E aí, fazendo só um “adendo”, penso que nada, absolutamente nada, acontece por acaso. Nós tiramos 480 pessoas que estariam treinando na USP. O local onde ocorreu o acidente, é exatamente em frente ao bolsão da assessoria onde ficamos aos sábados. Então, aquele dia, agradeci não só pelo sucesso do nosso treino, mas também por não termos feito isso na USP.

O treino foi PERFEITO. Fazendo pra poucas pessoas, pudemos falar com todo mundo, tirar fotos, dar abraços longos e apertados e ouvir histórias. Vieram pessoas de Santos, de Bauru ( Karina ameiiii você ter ido!), tinha uma seguidora da Venezuela! Ali, foi o meu dia de agradecer por toda a energia positiva que todos os seguidores me mandaram ao longo do tratamento. Eu até tinha feito um “discurso”, mas na hora, resolvi apenas agradecer e desejar em dobro todo esse carinho recebido de pessoas que eu nunca tinha visto na vida!

O nosso intuito com o Corra não é ganhar dinheiro. E muito menos fazer um treino pra ver quem corre mais rápido. Pôde ir desde quem caminha até quem corre muito. O intuito é confraternizar, dar risada e fazer o que mais amamos: correr. É sempre correr pela causa da mulher, seja contra a violência, pela saúde, pelo respeito. Dessa vez, corremos pelo empoderamento da mulher. Podemos provar que somos muito fortes. Isso não é feminismo, é constatação! E quantas mulheres fortes eu conheci e reencontrei aquele dia!

A Nike montou uma super estrutura e nossos agradecimentos vão para: Nike, Milk, Parque da Água Branca, Neide, Wanderlei, Núcleo Aventura, Banana Tera, Do Vivo, Pink Cheeks, Hope, Jacques Janine, Monama, Giornate Assessoria, Trio,Frescca e Fabíola Bokos Jóias.

Todas as fotos vocês podem baixar pelo Flickr da Nike e conferir muitas na #corrapelavida e #corrafreepelavida

Confiram algumas aqui: