Vocês já sabem que estou apaixonada pela prática da Yoga, como comentei por aqui há uns dias. Quando comecei a fazer aula com a Ju, ela me perguntou o que eu esperava do Yoga, até mesmo pra ela saber como conduzir as aulas. Eu queria apenas mudar os estímulos, controlar minha ansiedade e o aprender a focar mais nas coisas ( sim! A Yôga ajuda demaissss no foco!). E qual não foi a minha surpresa, quando comecei a experimentar os benefícios da Yôga na corrida. Sim! Com as técnicas de respiração que aprendi, parece que meu pulmão está com uma capacidade respiratória muito maior que antes!

Então, pedi à Ju que escrevesse sobre alguns benefícios da prática para atletas e começamos hoje com a respiração!

O Yôga nada mais é do que uma filosofia prática que conduz o praticante a um estado expandido de consciência e mega lucidez.

E as suas técnicas têm uma influência tão poderosa sobre o corpo físico, mental e intuicional do indivíduo que, se este for esperto, poderá utilizar todas as técnicas a seu favor.

Isso mesmo! As técnicas do Yôga, se executadas com consciência, na hora e maneira corretas, irão interferir de maneira positiva na performance física, emocional e mental de qualquer um, seja atleta de alta performance ou amador.

Geralmente, quem decide correr maratonas têm um desgaste energético muito grande, além de sofrer grande impacto – sobrecarregando as articulações. A respiração realizada pelo atleta ao longo da corrida precisa ser profunda e consciente para que esta influencie a resistência física e emocional do corredor. Tudo está ligado! É preciso apenas que você também se ligue e passe a sentir melhor o seu corpo ao longo dos treinos e das provas.

Exitem técnicas muito simples que podem ser realizadas por qualquer um para melhorar a performance nas corridas. Hoje vou explorar as técnicas respiratórias e nos próximos textos, as demais técnicas.

RESPIRAÇÃO

A respiração exerce grande influência sobre a nossa resistência física, pois ela energiza o nosso corpo. Se você respirar de maneira errada, ao invés de maximizar a energia no seu corpo, irá minimizar. Aí, a sua resistência não será nada satisfatória e você ficará cansado antes de completar o percurso escolhido.

Se você quiser respirar corretamente, lembre-se de executar respirações profundas, conscientes e exclusivamente nasais. Se você respirar com a boca, irá perder energia. Lembre-se sempre disso.

Você pode começar a treinar essa respiração deitado, com as costas no chão, joelhos flexionados, plantas dos pés no solo e as mãos sobre o abdômen. Vá sentindo uma respiração mais abdominal de forma que toda vez que você inspire, o abdômen se expanda e toda vez que você expire, ele se comprima. Treine em casa, sempre mantendo os olhos fechados e tomando consciência da sua respiração. Dessa forma, você treina respiração e concentração de uma só vez.

Se você conseguir respirar utilizando o abdômem, vai sentir que a respiração vai se tornar muito mais profunda, já que utilizamos cerca de 60% da nossa capacidade pulmonar na respiração baixa (abdominal).

Assim, que você sentir que já consegue coordenar a respiração sentindo o abdômen se expandir toda vez que você inspira e se contrair (muito) toda vez que você exala, é hora de adicionar ritmo à sua respiração.

Sugiro que você treine o ritmo 1-1-1-1, também chamado de ritmo quadrado. Nesse ritmo, você deve inspirar contando um determinado tempo (5 segundos, por exemplo), depois você irá reter com os pulmões cheios contando o mesmo tempo (se inspirou em 5 segundos, deverá reter em 5 também), vai exalar pelo mesmo tempo e reter com os pulmões vazios pelo mesmo tempo. É um ritmo simples e que desenvolve a estabilidade respiratória, física e emocional.

Vamos tentar?